Machado: um avatar de vício frenético

Eu tenho várias dicas a dar a quem interessar possa... Mas, não sei, me dá preguiça de escrever nos momentos oportunos, quando eu vejo ou as coisas e tals... Na verdade, eu enrolo para escrever aqui no blog porque é interneticamente "difícil" me logar nesta conta. É, sei que não sou muito normal...

Mas vamos às dicas:

Avatar: é um filme sobre conflito de civilizações, sobre guerra. Critica, sutilmente ou não, a política bélica americana. De todo modo, é um espetáculo: uma fotografia divina e roteiro bem feito. Merece o Oscar, porque é o filme inesquecível de 2009. Gostei tanto desse filme que fui assisti-lo duas vezes no cinema - apenas para rever a fotografia, as imagens, os efeitos especiais! A segunda vez, eu assisti em 3D. E um dia poderei dizer aos meus descendentes que assisti a "Avatar" em 3D no cinema, que foi um filmão!

Vício Frenético: não esperava muito desse filme. Na verdade, achei que era apenas mais um filme de ação para ganhar dinheiro dos que não têm muito o que fazer além de ir ao cinema. Mas acabei achando a película - ó, uso sinônimos para não repetir as palavras - muito bem feito, envolvente, com cenas fortes e memoráveis. Nicolas Cage sempre fez muito bem o papel de louquinho, meio psicopata. Indica-se.

Machado de Assis: sinceramente, não tenho palavras à altura da minha admiração e da qualidade literária de um dos maiores escritores de todos os tempos - vai saber se não "o maior"... O que me resta fazer é indicar o que eu considero mais do que o "normal especial" da obra dele.

-Romance: Memórias Póstumas de Brás Cubas. Essencial.

*Uma nota sobre Dom Casmurro: não sei até que ponto é producente mandar que se leia esse romance na escola, na adolescência. Eu acredito que, para depreender a mensagem, é necessário maturidade intelectual e emocional. Talvez só quem tenha sentido ciúmes na pele possa entender o protagonista. E talvez só quem tenha sentido ciúmes na pele e depois caído na real de que estava paranoico é que pode tirar algo a mais da história.

-Contos: Pai Contra Mãe, Aurora Sem Dia.

Claro que toda a obra ficcional de Machado deve estar disponível na internet. Mas ler pelo computador não é a mesma coisa que ler no papel impresso ><. Sorry, informática, perdeu aí (mas, pelo menos, só neste ponto)!

Existem uns livrinhos bons da ditora Martin Claret, da coleção A Obra-Prima de Cada Autor, com umas capas bonitinhas e um preço bem camarada (coisa de 10 reais). Vale a pena comprá-los para ler obras impressas. Além de romances, contos, poesia e teatro do Machado, há uma lista imensa de várias obras de vários autores. Tudo com a capa bonitinha e custo agradável às pessoas mais avaras (como eu).

"E as acusações de plágio contra a editora Martin Claret?", alguém mais por dentro pode perguntar. Bom, aí, ou a gente esquece, ou só compra os livros de escritores em português - já que, nestes casos, não houve tradução; portanto, nem plágio ;). O maior crédito dessa coleção são as capas bonitinhas, hehehe.

Um abraço!

PS: sentiu a "arte" do título do post? Hehehe.

4 comentários:

Desabafando disse...

kkkkkk...eu adorei o título, quando entrei aqui fiquei pensando: mas do que será que ela vai falar? fiquei mais curiosa pra ler. Não vi esses filmes mas gosto de Machado de Assis, já li esse livro e gostei....li faz muito tempo. rsrsrs...

Dama de Cinzas disse...

Avatar eu estou louca pra ver em 3D, mas os outros eu não tinha ouvido falar. Boas dicas!

Beijocas

.justlow disse...

Oi amei seu cantinho, me segui que já estou te seguindo !
sempre que der apareça no meu blog ok
;*

Ludi disse...

Post cultural de título doido kkkkkkkkkkkkkk
Li Memórias Póstumas há um bom tempo atrás... mas li naquelas né, de obrigação de escola e tals... preciso ler outra vez pra assimilar.
Eu tenho o "Signo da Cidade" flor. Mas brigada pela dica. Fnac e Livraria Cultura, adoro as duas, sempre saem na frente com essas coisas que não atingem o grande público.
Beijo e bom fim de semana

 
designed by suckmylolly.com