"Todos os casais deveriam ler"

Hoje me deu vontade de postar aqui no blog um texto que eu recebi por e-mail na forma de aquivo pps. (Sabe, né, aquelas senhoras que mandam uma mensagem dessas por dia? Então, minha mãe é uma delas \o/. E a mãe do meu amigo também - sim, recebo emails da mãe do meu amigo... O texto a seguir, eu recebi de uma delas duas.)

Não sei se alguém lê ou curte esse tipo de mensagem em blogs. Mas eu a recebi, achei relevante - e meio desolador - o que estava escrito e quis postar aqui para deixar registrado, para que eu mesma possa reler de vez em quando.

O nome do slide que eu recebi, com a mensagem, é "Todos os casais deveriam ler". Não sei se é o título original, mas, como é pertinente, resolvi manter aqui no blog.

Segue.

Amor...

Aos que não casaram,
Aos que vão casar,
Aos que acabaram de casar,
Aos que pensam em se separar,
Aos que acabaram de se separar,
Aos que pensam em voltar...

Não existem vários tipos de amor, assim como não existem três tipos de saudades, quatro de ódio, seis espécies de inveja. O amor é único, como qualquer sentimento, seja ele destinado a familiares, ao cônjuge ou a Deus. A diferença é que, como entre marido e mulher não há laços de sangue, a sedução tem que ser ininterrupta.

Por não haver nenhuma garantia de durabilidade, qualquer alteração no tom de voz nos fragiliza, e de cobrança em cobrança acabamos por sepultar uma relação que poderia ser eterna. Casaram. Te amo pra lá, te amo pra cá. Lindo, mas insustentável. O sucesso de um casamento exige mais do que declarações românticas. Entre duas pessoas que resolvem dividir o mesmo teto, tem que haver muito mais do que amor, e às vezes nem necessita de um amor tão intenso.

É preciso que haja, antes de mais nada, respeito. Agressões zero. Disposição para ouvir argumentos alheios. Alguma paciência... Amor, só, não basta. Não pode haver competição. Nem comparações. Tem que ter jogo de cintura para acatar regras que não foram previamente combinadas. Tem que haver bom humor para enfrentar imprevistos, acessos de carência, infantilidades. Tem que saber levar. Amar, só, é pouco. Tem que haver inteligência. Um cérebro programado para enfrentar tensões pré-menstruais, rejeições, demissões inesperadas, contas pra pagar. Tem que ter disciplina para educar filhos, dar exemplo, não gritar. Não adianta, apenas, amar.

Entre casais que se unem visando à longevidade do matrimônio tem que haver um pouco de silêncio, amigos de infância, vida própria, um tempo pra cada um. Tem que haver confiança. Uma certa camaradagem, às vezes fingir que não viu, fazer de conta que não escutou. É preciso entender que união não significa, necessariamente, fusão. E que amar, "solamente", não basta. Entre homens e mulheres que acham que o amor é só poesia, tem que haver discernimento, pé no chão, racionalidade.

Tem que saber que o amor pode ser bom, pode durar para sempre, mas que sozinho não dá conta do recado. O amor é grande, mas não é dois. É preciso convocar uma turma de sentimentos para amparar esse amor que carrega o ônus da onipotência. O amor até pode nos bastar, mas ele próprio não se basta.

Um bom amor aos que já têm!
Um bom encontro aos que procuram!
E felicidades a todos nós!

TEXTO DE ARTUR DA TÁVOLA

---
Beijos.

11 comentários:

Camila disse...

Adorei o texto menina! =)
Muito lindooo!

Ah então eu tinha deletado meu blog por problemas pessoais sabe, escpliquei acho que no 2° post então eu havia ficado muito magoada! Só que senti falta dele! e fiz outro hahahaha

beijoo

Juliana* disse...

Lindo texto!Que bom que postou.
Como tudo na vida, nada se basta, é preciso sempre de serenidade, paciência e tantas outras coisas...
A propósito, minha mãe também me envia esses e-mails, ela diz que as vezes ela manda por que tem umas imagens muito bonitinhas...rsrs

beijos

Dama de Cinzas disse...

Amei o texto... certíssimo!

Beijocas

Bibian! disse...

Eu penso assim, mas poucas pessoas pesam assim e é difícil ensnar isso a eles... ou será que eu só acabo com gente que pensa q o amor é um lindo filme romântico água com açúcar?
Sei lá, é difícil encarar a realidade, talvez...
AMEI!

Ludi disse...

Lindo o texto!
Felicidades a todos nós, afinal, todo mundo merece ser feliz!
Beijão

Debora Giangiarulo disse...

Lindo! O amor deve ser assim, real, possível, tocavel.
Adorei!
Bjssss!

Desabafando disse...

amei o texto!

Otávio disse...

os beatles deviam ter lido este texto antes de ter feito aquela música horrível all you need is love rs o amor é grande mas não é dois resume tudo hehehe

Idylla disse...

ki texto lindo amigaa...ja li outros textos desse autor e foi super interessante tb!!!
beijos amigaaaaaaaaaaaaaa

deleyga disse...

Belo texto e acima de tudo, realista. Não é fácil conviver, não é fácil viver um relacionamento, é preciso ter muita serenidade e maturidade pra superar os obstáculos, caso contrário...

bjs

=*

Juliana* disse...

Olá Sagesse!
Tudo bem?

tem selo pra você no blog!

beijos

 
designed by suckmylolly.com