Aniversário é bom :)

Mas já que ficou convencionado que no dia do aniversário se tem certos direitos, comece pelo mais elementar: tire o telefone do gancho. Peça uma comida bem boa por telefone, faça um uísque e ponha um belo de um CD -um Chet Baker, por exemplo- e comece a se preparar para ser feliz; pense em como é bom não ter que brindar com ninguém, não ter que agradecer as felicidades e os felizes aniversários que te desejam.
"As Datas", coluna de Danuza Leão na "Folha de São Paulo", publicada no dia 24/06/2007.

Bem, o tema era sobre aniversário. Em como pode ser ruim fazer aniversário, ficar velho, etc. Estou começando a achar as colunas da Danuza Leão muito banais. Sempre a respeito de umas neuras que parecem não ter muita importância.... Às vezes, lembra-me das novelas do Manoel Carlos, affff.... Os temas parecem ser aqueles dos quais não nos lembramos mais dois dias depois de ter lido.

Mas, enfim: não odeio os meus aniversários. Não tenho (mais) medo de ficar velha. Acho bobagem alguém de mais de 50 anos ficar com essas neuras, como se não tivessem maturidade para entender que a vida é mais do que ter vergonha de dizer a idade.

E também gosto muito do dia do meu aniversário: não me ofende nem me enche o saco a gentileza de muitas pessoas me cumprimentarem. Pelo contrário: acho indelicado quando não o fazem. Mas o mais legal é que eu faço QUESTÃO de ficar bastante alegre no dia do meu: acordo na hora que eu tenho vontade, como o que eu quero, saio e vou para onde eu quero sem me preocupar com horários, com gastos, etc.

A questão é: por que não se faz isso mais vezes, pelo menos, digamos, a cada 15 dias, e só uma vez por ano?

1 comentários:

Edson Marques disse...

Erika,



concordo!



Abraços, flores, estrelas..


.

 
designed by suckmylolly.com